Resenha, Resenha de Álbum/DVD — April 25, 2012 at 12:24 am

Napalm Death – Rápido, pesado, caótico e perfeito.

by

Nota: 10/10

Após três anos sem lançar um disco de inéditas, os inventores do grindcore, nos presenteia com o excelente Utilitarian. A imagem que muitos têm do grindcore como música rápida e pesada sem muita técnica e com péssima produção vem abaixo com esse trabalho do Napalm. O disco temperado por outros estilos, não tira da banda a nobre alcunha de reis do grind.

A primeira faixa Circumspect é a introdução para a devastação sonora que o disco vem trazendo aos poucos, faixa por faixa, e essa intro faz isso na medida certa com guitarras dedilhadas, bordões com muito peso e um teclado que envolve e deixa o clima ainda mais pesado e bem sinistro, perfeito para o primeiro dos muitos petardos do disco.

Os ingleses do Napalm Death conseguem hoje fundir em único trabalho e com imensa qualidade o thrash e o death metal com o grindcore que os consagrou e ainda apimentar essa receita com a atmosfera punk e o engajamento político/social que a banda insere em suas letras, tudo isso sem precisar de rótulos modernos para atingir os fãs do estilo. Cadência, peso e velocidade nas músicas não transformaram o Napalm Death em uma banda de metalcore. Mostram-nos que é possível ter um saxofone, como na faixa Everyday Pox, e mesmo assim ter a desarmonia necessária capaz de causar uma sensação de histeria e caos.

Com uma produção impecável o álbum figurará fácil entre os top dez do ano de 2012 e tem tudo para se tornar um clássico, como disse em um post anterior logo após ouvir a faixa sigle Leper Colony o disco é o que todo fã do Napalm Death e também da música pesada espera, sem surpresas desagradáveis ou qualquer modismo, com vocais furiosos, bateria ultra-veloz e um excelente trabalho na guitarra de Mitch Harris. Considero, sem dúvida alguma, o melhor disco que escutei neste ano.

A banda se mostra em plena forma com o primor aplicado neste disco, claro que é possível encontrar semelhanças com trabalhos anteriores, mas eu prefiro assim, um pouco mais do mesmo com a qualidade que ouvi nesse álbum, do que inovar para pior. É assim que uma banda me surpreende e agrada, fazendo um disco igual e melhor do que o anterior.

Tracklist:

1. Circumspect
2. Errors in the Signals
3. Everyday Pox
4. Protection Racket
5. The Wolf I Feed
6. Quarantined
7. Fall on Their Swords
8. Collision Course
9. Orders of Magnitude
10. Think Tank Trials
11. Blank Look About Face
12. Leper Colony
13. Nom de Guerre
14. Analysis Paralysis
15. Opposites Repellent
16. A Gag Reflex
17. Everything in Mono

Veja o clipe da faixa  Analysis Paralysis

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=9vjeEoFiEPE&feature=related]